Indústria: a própria revolução do mundo

Hoje, dia 25 de maio, o mundo comemora o Dia da Indústria. Mas, o que hoje costumamos olhar com naturalidade, na verdade precisou de fortes incentivos, movimentos e uma verdadeira revolução para acontecer. 

Historicamente, a revolução industrial deu seu primeiro passo rumo aos poderosos impérios culturais, econômicos e de consumo, mais precisamente no ano de 1760, na Inglaterra,  fruto do avanço global da tecnologia e a mudança em massa da população do campo para as grandes cidades. 

Antes da Revolução Industrial, a produção do trabalho era manufaturada, ou seja, a fabricação de produtos era dividida entre pessoas e máquinas, representada pelo trabalho manual. A maioria da população vivia nos campos, não se tendo grandes meios de comunicação entre pessoas e países. A comunicação era feita através de cartas, o que era muito demorado e o transporte se dava por meio de carroças, algo quase impossível de imaginarmos nos dias atuais..

Antes da indústria chegar na Inglaterra, a terra era mantida pelos rebanhos de carneiro pelo qual se obtinha grande quantidade de lã, que era vendida para o estrangeiro, sendo um dos fatores que fizeram a Inglaterra enriquecer. A lã também trouxe grande crescimento e desenvolvimento pelos insumos, serviços e pela mão de obra.

A produção era executada manualmente, o que ocasionava na demora da realização de mercadorias e na baixa quantidade. Naquele período, não existiam normas para decretar o direito do trabalhador, então, era muito comum que todos os membros das famílias participassem das atividades de produção.

A revolução da indústria é marcada por grandes criações. Uma delas foi a lançadeira volante,  aparelho que acelerou a atividade manual usada na indústria têxtil e foi inventada em 1733, por John Kay. Depois veio a substituição da madeira pelo carvão, que se deu em 1755 por Abraham Darby. Logo depois, tivemos o desenvolvimento do ferro como matéria-prima, substituindo a máquina de madeira pela máquina de metal. No ano de 1769, vimos nascer a máquina a vapor patenteada por James Watt.

Alguns destes elementos estão, inclusive, presentes na linha do tempo que criamos para mostrar a evolução do SCADA. O vídeo completo está na nossa página do LinkedIn, que você pode acessar clicando AQUI.

O avanço tecnológico característico da Revolução Industrial permitiu um grande desenvolvimento de maquinário voltado para a produção têxtil. Com isso, uma série de máquinas foram criadas para tecer fios. Esse avanço na produção possibilitou tecer uma quantidade de fios que manualmente exigiria a utilização de várias pessoas.

No começo do século XIX, o desenvolvimento tecnológico foi utilizado para a criação da locomotiva e das estradas de ferro, que, a partir da década de 1830, foram construídas por toda a Inglaterra. A construção das estradas de ferro contribuiu para ampliar o crescimento industrial, uma vez que diminuiu as distâncias, ao tornar as viagens mais curtas e ampliar a capacidade de locomoção de mercadorias.

As 3 revoluções industriais na história da humanidade

A Primeira Revolução Industrial determinou o processo de evolução tecnológica vivido a partir do século XVIII na Europa Ocidental, entre 1760 e 1850, estabelecendo uma nova relação entre a sociedade, possibilitando a existência de formas inovadoras de produção que transformaram o setor industrial, dando início a um novo padrão de consumo. Essa fase é marcada especialmente por:

  • substituição da energia produzida pelo homem por energias como a vapor, eólica e hidráulica;
  • substituição da produção artesanal (manufatura) pela indústria (maquinofatura);
  • existência de novas relações de trabalho.

As principais invenções dessa fase que modificaram todo o cenário vivido na época foram:

  • a utilização do carvão como fonte de energia;
  • o consequente desenvolvimento da máquina a vapor e da locomotiva;
  • desenvolvimento do telégrafo, um dos primeiros meios de comunicação quase instantânea.

A produção foi modificada, diminuindo o tempo e aumentando a produtividade; as invenções possibilitaram o melhor escoamento de matérias-primas, bem como de consumidores e, também, favoreceram a distribuição dos bens produzidos.

A Segunda Revolução Industrial aconteceu entre a segunda metade do século XIX até meados do século XX, tendo seu fim durante a Segunda Guerra Mundial. A industrialização avançou os limites geográficos da Europa Ocidental, e se espalhou por países como Estados Unidos, Japão e a Europa.

Aqui foi possível descobrir e desfrutar de avanços tecnológicos ainda maiores que os vivenciados na primeira revolução industrial, bem como o próprio aperfeiçoamento das tecnologias já existentes. O mundo também vivenciou diversas novas criações, capazes de aumentar ainda mais a produtividade e, consequentemente, os lucros das indústrias. Houve nesse período um grande incentivo às pesquisas, especialmente no campo da medicina.

As principais invenções dessa fase estão associadas ao uso do petróleo como fonte de energia, utilizado no motor à combustão. A eletricidade, que antes era utilizada apenas para desenvolvimento de pesquisas em laboratórios, nesse período, começou a ser usada para o funcionamento de motores, com destaque para os elétricos e à explosão. O ferro, que antes era largamente utilizado, passou a ser substituído pelo aço.

A Terceira Revolução Industrial, também conhecida como Revolução Tecnocientífica, começou na metade do século XX, após a Segunda Guerra Mundial. Essa fase representa uma importante evolução não só no setor industrial, mas também ao avanço científico, deixando de ser restrito a apenas alguns países e se espalhando por todo o mundo.

As transformações iniciadas pelos avanços tecnocientíficos são vivenciadas até hoje e cada nova descoberta representa um outro patamar alcançado dentro dessa fase da revolução, consolidando o que conhecemos hoje como capitalismo financeiro. A introdução da biotecnologia, robótica, avanços na área da genética, telecomunicações, eletrônica, transporte e outras, transformaram não só a produção, como também as relações sociais, o modo de vida da sociedade e o espaço geográfico.

Todo esse desenvolvimento deu origem ao que converge para a diminuição do tempo e das distâncias, ligando pessoas, ligando lugares, transmitindo informações instantaneamente e superando, então, os desafios e obstáculos que permeiam a localização geográfica, as diferenças culturais, físicas e sociais, também conhecida como globalização. 

A INDÚSTRIA 4.0

A quarta revolução industrial é o que já conhecemos com a Indústria 4.0. As principais características dessa revolução são formadas por um amplo sistema de tecnologias avançadas, como a inteligência artificial, robótica, a internet das coisas e a computação em nuvem, que estão mudando as formas de produção e os modelos de negócios em todo o mundo.

Falar sobre a Indústria 4.0 é poder olhar de perto um fenômeno que está mudando, em grande escala, a automação e a troca de dados, assim como as etapas de produção e os modelos de negócios, por meio do uso de máquinas e computadores com alta capacidade tecnológica. 

Inovação, eficiência e customização são as palavras-chave para definir o conceito da Indústria 4.0.

Mesmo não sendo mais uma novidade no setor, a Indústria 4.0 ainda deixa muita gente curiosa aqui no Brasil. Segundo dados fornecidos pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, menos de 2% das empresas brasileiras estão verdadeiramente imersas neste conceito.

Ainda há muito para ser explorado e modificado.
Aqui mesmo no blog você pode encontrar dicas e saber mais sobre a mudança de comportamento das indústrias, do consumo e, principalmente, sobre a transformação digital (leia o post completo sobre o assunto clicando AQUI).

E antes que eu me esqueça: FELIZ DIA DA INDÚSTRIA <3


Referências de pesquisa:

https://www.abdi.com.br/
https://brasilescola.uol.com.br/geografia/primeira-revolucao-industrial.htm
https://brasilescola.uol.com.br/historiag/segunda-guerra-mundial.htm
https://brasilescola.uol.com.br/historiag/segunda-revolucao-industrial.htm
https://www.historiadomundo.com.br/idade-moderna/revolucao-industrial.htm
https://www.portaldaindustria.com.br/industria-de-a-z/industria-4-0/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.