Tecnologias para ficar de olho em 2022

Num mundo cada vez mais avançado, tecnológico e globalizado, como compreender e priorizar as áreas que tendem a ganhar destaque? Como saber onde investir recursos e esforços para inovar e ganhar mais mercado diante de tantas possibilidades? 

As opções são muitas, mas graças ao estudo global realizado pelo Instituto dos Engenheiros Elétricos e Eletrônicos (IEEE) com líderes dos Estados Unidos, Reino Unido, Índia, China e Japão, as áreas que envolvem Inteligência Artificial, Machine Learning, Computação na Nuvem e 5G são as tecnologias mais importantes (e que precisamos ficar de olho) em 2022. 

O estudo, que você pode conhecer clicando AQUI, chegou a envolver mais de 350 diretores de tecnologia. O resultado foi categorizado da seguinte forma: 

21% dos entrevistados destacou as áreas de Inteligência Artificial e Machine Learning 

>> 20% dos entrevistados destacou as áreas de Computação em Nuvem 

>>> 17% dos entrevistados destacou a tecnologia 5G

Em entrevista para a Forbes no ano passado, Raul Colcher, que é membro da IEEE e presidente da Questera Consulting, afirmou que há uma expectativa bastante significativa pelo 5G, já que esta tecnologia dará suporte para as outras que foram citadas na pesquisa. 

“Muitas áreas serão fortemente impactadas como no setor de medicina, com a possibilidades de cirurgias remotas com robôs. Para isso é necessário requisitos sobre as redes de telecomunicação e o 5G atende melhor esses requisitos do que as tecnologias anteriores”, afirma Colcher.

A banda 5G foi, de longe, uma das tecnologias mais citadas em toda a pesquisa. Graças a ela, nos próximos anos poderemos ver o avanço de:

  • Telemedicina, incluindo cirurgia remota e transmissões de registros de saúde (24%);
  • Ensino e educação em distância (20%);
  • Comunicações pessoais e profissionais do dia a dia (15%);
  • Entretenimento, esportes e transmissão de eventos ao vivo (14%);
  • Fabricação e montagem (13%);
  • Transporte e controle de tráfego (7%);
  • Redução de carbono e eficiência energética (5%);
  • Agricultura (2%).

Para conseguirmos imaginar de forma mais palpável o quanto essas tecnologias estão inseridas no nosso futuro, precisamos entender um pouquinho mais sobre elas. 

Então, segue o resumão da SCADAHUB sobre cada uma. Vamos lá: 

Inteligência Artificial

Sendo bem objetivos na descrição, podemos classificar a inteligência artificial (IA) como um sistema ou máquina que imita a inteligência humana, capaz de executar tarefas e tomar decisões com base nas informações coletadas. 

Assim como no filme Her, estrelado por Joaquin Phoenix e Scarlett Johansson, esses sistemas ou máquinas são atualizados continuamente, como se nunca parassem de aprender ou fazer associações com base nas informações gerais ou de um usuário. 

Atualmente, é comum termos contato com IA’s através de chatbots – que captam o problema do cliente e fornecem respostas rápidas -, através dos assistentes inteligentes – que juntam grandes conjuntos de dados para melhorar as respostas de um sistema – , e através da programação automatizada dos streamings – que oferecem conteúdos específicos baseados no gosto do usuário.

Mesmo que haja uma visão quase fantasiosa sobre a chegada de robôs muito semelhantes aos humanos, a existência da IA não faz relação com a substituição dos seres humanos, mas, sim, com melhorar significativamente as habilidades e atribuições humanas, fazendo dela um ativo de negócio extremamente valioso! 

Machine Learning

Conhecido no Brasil, em tradução livre, como “Aprendizado de Máquina”, o Machine Learning é uma tecnologia que permite aos computadores aprender e projetar informações a partir da associação de diferentes dados, que podem ser coletados de imagens, números, textos, formas e tudo o que essa tecnologia for capaz de detectar. 

Diferente da programação de software tradicional, os algoritmos de Machine Learning são criados somente a partir da análise de uma sequência de dados e da resposta esperada dela. 

Nesta tecnologia, os algoritmos podem aprender com seus próprios erros, fazer revisões e aprimorar a capacidade de entrega e avaliação sobre as informações. 

Enquanto que na inteligência artificial existem dois tipos de raciocínio (o indutivo – que extrai regras e padrões de grandes conjuntos de dados – e o dedutivo), o aprendizado de máquina só se preocupa com o indutivo.

Cloud Computing 

A cloud computing, ou computação em nuvem, é um fornecimento de serviços de computação via internet. Esses serviços podem ser servidores, sistemas de gestão, armazenamento, banco de dados e outros. 

É uma forma de as empresas terem acesso às inovações mais rapidamente, sem precisar investir muito em infraestrutura e, assim, reduzir gastos operacionais.

Ela também possibilita que os serviços sejam acessados de qualquer lugar, o que dá mais mobilidade para a empresa

Exemplo: quando você acessa uma planilha no Drive do Google, não precisa necessariamente baixar nenhum aplicativo ou documento. Em poucos passos e sem comprometer a memória física do seu aparelho móvel ou PC, você edita, cria, salva ou exclui um documento de forma simples, rápida e bem prática. 

Um estudo divulgado pela IMG, em 2020, mostrou que mais da metade dos trabalhadores de todo o mundo trabalham cerca de 2,5 dias fora do escritório. Um acontecimento que só é possível graças aos avanços tecnológicos que permitem o acesso à informação e ferramentas disponíveis em nuvem. 

Banda 5G

Depois do 3G e 4G, a evolução natural nos leva para os avanços promovidos pela tecnologia do 5G, que já está sendo utilizado em países como Alemanha, China, Estados Unidos e Japão. No Brasil, segundo o Ministério de Telecomunicações, o 5G deve estar disponível em todas as capitais brasileiras até julho de 2022.

Assim como nas gerações anteriores, a banda 5G funciona através de ondas de rádio, podendo chegar a até 10 Gbps. Quando comparado aos 4G (19,8 Mbps) a diferença é de quase 100 vezes. 

Com isso, as melhorias na conexão, na velocidade e no tempo de resposta devem facilitar o uso de tecnologias em carros autônomos, telemedicina, linha de produção automatizada nas indústrias, mais qualidade em teleconferências e uma experiência infinitamente mais aprimorada na transmissão de vídeos ao vivo e jogos online. 

Para isso, as operadoras de telecomunicação terão que cumprir as seguintes exigências:

  • Em municípios com mais de 500 mil habitantes, o 5G deverá ser implementado até julho de 2025;
  • Para municípios com mais de 200 mil habitantes, o prazo é julho de 2026;
  • Já os municípios que tiverem população acima de 100 mil pessoas deverão ter o território atendido pela rede até julho de 2027.

Se tudo der certo (e a gente espera que sim!) A previsão é que 100% dos municípios com menos de 30 mil habitantes estejam usando a tecnologia 5G até dezembro de 2029. 

———————————–

Gostou deste conteúdo!? 

Então, não deixe de se inscrever na nossa Newsletter e acompanhar as atualizações da SCADAHUB nas redes sociais. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.